quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Quote de Quarta #29

Inspiração semanal em forma de citações de grandes autores e grandes obras. De livros, e sobre livros! 


Read More

Convites das Editoras Companhia das Letras e Sextante

Oi gente, nesse post eu mostro os convites para eventos, lançamentos, palestras e entrevistas, promovidos pelas editoras ou autores.




Read More

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Sobre Histórias de Fadas

de J.R.R. Tolkien (Editora Conrad)

Este livro é um famoso ensaio do mesmo autor de O Senhor dos Anéis e O Hobbit, tentando responder três questões muitos simples: O que são contos de fadas? Qual a sua origem? Para que servem? Debruçado sobre este tema, Tolkien então comenta sobre as obras de diversos contistas como Grimm, Andersen e Perrault e analisando seus contos aponta elementos que são ou não similares e reconhecíveis em todas as histórias.

O autor fala sobre Faërie, ou O Belo Reino, que seria o mundo mágico onde vivem fadas e elfos, e que contém certos elementos peculiares que podem ajudar a definir os contos de fadas. Sua visão foi muito criticada, por ser muito restritiva e simples, mas a obra de Tolkien tem uma beleza que não pode ser negada até mesmo quando ele escreve um texto acadêmico sério e direto. Acontece que o sério e direto é indivisível de sua visão cômica do mundo, e sua forma livre e descontraída de falar sobre um tema que conhecia tão bem.

Um dos pontos mais interessantes da história é a capacidade de Tolkien de conhecer todas as histórias a fundo, sabendo suas origens e suas implicações. Ele relaciona a histórias de fadas com os mitos, as alegorias, as lendas e as posteriores narrativas de fantasia. Ele escreve muitas definições para o fantástico e ligando isto com suas obras dá para entender um pouco melhor O Senhor dos Anéis e O Hobbit.

No fim do livro também está o conto Folha por Niggle, um emblemático escrito de Tolkien sobre um pintor que está fazendo a tela de uma árvore, mas gasta tempo demais com cada folha e a vai aumentando a obra de maneira a nunca conseguir terminá-la. Niggle vive uma vida comum e é um personagem peculiar, mas as situações em que é colocado são ainda mais estranhas.

A união das duas obras em um livro vem bem a calhar e mostra a maestria de Tolkien, e faz o leitor entender muitas das circunstâncias em que ele criou a Terra Média, e dentro dela todo este universo maravilhoso e arrebatador de fantasia que a cada ano angaria mais fãs e adictos para esta causa. Fui fisgada há muitos anos atrás, quando tinha 12 anos e o universo de Tolkien acabou se tornando parte da minha vida de muitas maneiras, e qualquer leitor que tenha identificação com suas obras também vai sentir o mesmo ao ler este volume.
Read More

sábado, 27 de setembro de 2014

Bacardí usa graphic novel para contar a história do homem por trás da marca

O que existe por trás da assinatura de uma marca? Às vezes pode ser apenas uma jogada de marketing, em outras, uma história fascinante. É neste segundo caso que se encaixa “Untameable Since 1862″ (“Indomável desde 1862″), de Bacardí. A destilaria de rum fundada por Don Facundo Bacardí Massó superou muitos problemas, como terremotos, incêndios e revoluções até se consagrar como uma das principais marcas de bebida do mundo, mas indomável mesmo foi Emilio Bacardí, protagonista da graphic novel The Spirit of Bacardí.

Com texto de Warren Ellis e ilustrações de Michael Allred, a novela gráfica conta a história do homem por trás da marca e todo o seu trabalho em prol de uma Cuba livre (ou Cuba Libre), no fim do século 19.

Veja o vídeo:
Filho de Don Facundo, Emilio foi preso diversas vezes durante a ocupação espanhola, quando trabalhava junto aos rebeldes pela independência do país. Após um período de exílio na Jamaica, a presença norte-americana na ilha permitiu que Bacardí voltasse e se tornasse prefeito indicado pelo governador e, depois, o primeiro prefeito eleito pelo povo.
No vídeo acima, Ellis e Allred contam com muito bom humor seu envolvimento com o projeto – que teve até gotas de Bacardí Gold adicionadas às tintas usadas pelo ilustrador.
O download da graphic novel pode ser feito gratuitamente aqui.

Read More

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Música de Sexta - Kodaline

Música de Sexta é uma sessão semanal para mostrar algumas dicas musicais. Hoje você curtem Kodaline, uma banda irlandesa que faz um som autoral lindo de se ouvir, com um ritmo diferenciado e um som que é ouvir pra saber que são eles. Vale a pena ouvir Give Me a Minute, All I Want e Love Like This, aqui embaixo a lindíssima High Hopes.

Read More

Coluna no Jornal Gazeta do Sul - Herói Brasileiro

Oi gente tudo bem com vocês? Minha coluna desta semana no jornal Gazeta do Sul foi sobre a HQ do Ayrton Senna da Editora Nemo. Eu fiz a resenha no blog há um tempo atrás, vocês pode conferir ela (e as imagens da parte interna da HQ) aqui. Vem ver:


HERÓI BRASILEIRO 
A Editora Nemo lança pela primeira vez no Brasil a HQ Ayrton Senna: A Trajetória de um Mito, obra composta pelo trabalho integrado de Christian Papazoglakis, Lionel Froissart e Robert Paquet. Para os fãs de quadrinhos, e principalmente para os fãs deste herói brasileiro é uma obra para ter e guardar. Dividida em poucos capítulos a obra mostra a trajetória de Senna nas pistas, deste o despertar de sua paixão pelas corridas com o kart até o seu ingresso na Fórmula 1.

Estão na narrativa as principais características de Ayrton, conhecidas e amadas por todos os brasileiros, como sua garra por vencer, sua introspecção e amabilidade. O fato de correr melhor na chuva é mostrado de forma genial. Sua relação com a sua família e a mídia enquanto foi crescendo como piloto está presente, assim como suas rivalidades dentro do mundo restrito da F1. Os autores escolheram mostrar de forma branda as rixas que Senna teve durante os anos em que correu, e tiveram uma delicadeza muito grande para contar o fim abrupto de sua carreira.

A parte visual ficou linda, a colorização dos quadros muito caprichada e potencializada pela impressão. A emoção das corridas fica muito transparente nos quadrinhos, cada nova imagem aumentando o suspense, e até mesmo quem já conhece o final das corridas se emociona ao lembrar de quem Senna foi, e principalmente do que ele representou para toda uma geração de brasileiros, se existe um defeito na obra, é ela ser curta demais para a grandiosidade de seu tema.

Mais vendidos em Santa Cruz do Sul*.
1 – Eternidade por Um Fio – Ken Follett (Editora Arqueiro)
2 – Garoto Encontra Garoto – David Levithan (Editora Galera Record)
3 – Crianças Francesas Dia a Dia – Pamela Druckerman (Editora Fontanar)
4 – Se Eu Ficar – Gayle Forman (Editora Novo Conceito)
5 – 50 Tons de Cinza – E.L. James (Editora Intrínseca)

*Lista elaborada com base nas vendas das principais livrarias da cidade.
Read More

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Release A Música do Silêncio

Livro: A Música do Silêncio
Autor: Patrick Rothfuss
Editora: Arqueiro

Considerada a meca do conhecimento, a Universidade atrai as mentes mais brilhantes que buscam desmistificar os mistérios das ciências iluminadas, como feitiçaria e alquimia. Porém, bem abaixo de seus lotados corredores existe um complexo de quartos abandonados e passagens antigas. No coração desse labirinto cavernoso encontra-se uma jovem mulher chamara Auri, que chama este local de lar. Ex-estudante da Universidade, Auri agora gasta seu tempo cuidando do mundo ao seu redor. Ela sabe que alguns mistérios devem permanecer selados. Agora que não se deixa enganar pela racionalidade cega que àqueles que vivem acima dela confiam, Auri vê além da superficialidade das coisas e enxerga os perigos sutis e os nomes escondidos das coisas.

A Música do Silêncio é um Spin-off de A Crônica do Matador do Rei, série que começou com O Nome do Vento e seguiu com O Temor do Sábio, que como vocês sabem sou muito fã. Mal podemos esperar!
Read More

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Os Segredos de Colin Bridgerton

de Julia Quinn (Editora Arqueiro)

No quarto livro da apaixonante série Os Bridgertons, somos reapresentados à Penelope Featherington, a moça que sempre esteve nas margens dos salões de baile nos livros anteriores da série era notada apenas pela vontade de sua mãe de casar as filhas imediatamente e pelas cores infelizes de seus vestidos. Muitos anos passaram e ela ainda não se casou, e começa a se resignar a uma posição de solteirona, onde poderá ficar em casa com sua mãe e não mais sair de casa sempre à procura de m marido.

A companheira mais leal de Penelope é Eloise Bridgerton, que também não casou. Juntas as duas podem desfrutar do melhor da sociedade londrina sem a obrigação de serem vistas e admiradas, deixando isso para as meninas mais jovens. As duas se divertem lendo as Crônicas da Sociedade de Lady Whistledown e tentando imaginar quem poderia escrever os textos que comentam a vida de todos que elas conhecem. O que Eloise não sabe, no entanto, é que Penelope alimentou durante anos uma paixão por seu irmão Colin. Ele é o solteiro mais cobiçado da cidade há muitos anos, mas adotou para si a ideia de permanecer sozinho para poder viajar, então assim que retorna de uma viagem a um país distante, ele fica um pouco na casa da mãe para em seguida partir novamente.


Colin sempre tratou Penelope muito bem, foi cordial, educado, conversando com ela todas as vezes que ela visitava Eloise, e também a tirando para dançar nos bailes. Ela nunca deixou de gostar dele, mas sabia em seu íntimo que ele não ia se casar, e que ela não conseguiria aceitar o pedido de outro rapaz (mesmo que algum rapa tivesse lhe feito um pedido de casamento, o que não aconteceu.)

A relação dos dois começa a mudar quando do retorno de Colin de sua última viagem ao Chipre, ele está mudado, menos propenso a sair pelo mundo num ímpeto. Da mesma forma Penelope está mais madura e feliz. O tom cordial da conversa dos dois passa lentamente a um flerte e quando Penelope descobre um dos segredos de Colin a relação dos dois fica muito estreita. Quando ele, descobre o maior segredo dela, no entanto, tudo muda de figura, e a discórdia pode afastar a possibilidade com a qual ela sempre sonhou.


Não preciso me estender muito mais em comentários sobre a Julia Quinn, a mulher é positivamente diabólica em suas tramas, e a série Bridgerton me conquistou de uma forma que mal posso esperar pelo próximo volume. Sua narrativa é fluida, cheia de graça e humor. Suas personagens são inteligentes, e tem várias falhas que tentam corrigir ao longo da narrativa, e é possível ver a evolução.

A ideia de escrever um livro contando a história de cada irmão da família criou uma proximidade muito grande entre o leitor e os outros personagens, você fica esperando eles aparecerem para saber como anda a vida deles. Além de que é uma delícia relembrar de fatos que já aconteceram com Colin e Penelope nos livros anteriores, além de captar elementos das narrativas futuras. Por isso que a série pode ser lida individualmente, mas eu não recomendo. Perder estes pequenos toques seria imperdoável, então a leitura em ordem se faz obrigatória.


Adoro a maneira como as mulheres de Julia Quinn são fortes, independentes e muito a frente de seu tempo. Pode-se notar claramente que a autora é uma feminista, apesar de escrever sobre uma época em que as mulheres tinham poucos direitos e muitos deveres ela sempre consegue torcer a história para que a personagem saia ganhando. Recomendo a leitura da série para qualquer pessoa que goste de romances, de históricos e de momentos de puro prazer literário.

Para conferir os primeiros post da série:
Read More

Conteúdo Relacionado

© 2011 Uma Leitora, AllRightsReserved.

Designed by ScreenWritersArena